Farinhas do mesmo saco

Uma expressão popular……Estatisticamente falando, muito usada no contexto negativo. Normalmente para comparar duas pessoas ruins sob algum aspecto: “o político A e o político B daquele partido são tudo farinha do mesmo saco“.

O musicista Carlos Maltz propõe uma interpretação alternativa…..segue um vídeo do Youtube(r) da música “Farinha do Mesmo Saco”.

Basicamente……Existem pessoas que nos atrapalham. Outras, que nos ajudam. Algumas são praticamente neutras. E nós mesmos: também ajudamos outras, também somos neutros e, sim, também atrapalhamos…Mas todas elas nos edificam de alguma forma. E nosso comportamento também edifica.

As pessoas que nos atrapalham ou que são neutras nos desafiam. Algumas fazem-nos enxergar defeitos que até então não havíamos notado. Outras, testam virtudes que talvez tenhamos adquirido ou talvez não. Outras, ainda, convidam-nos a enxergar novos caminhos.

Considerando que somos, todos, iguais, no contexto universal: todos estão aqui para aprender, todos estão aqui para interagir. Todos têm sua parcela de “culpa” e seus “méritos”. Todos estão aqui para evoluir…….Nesse ponto, somos todos “farinha do mesmo saco”.

Exercitemos: ao enxergar o irmão ou irmã que tente nos atrapalhar, lembremos do quanto que nós já também erramos com outras pessoas e assim será mais fácil compreender esse revés. Assim como já foi para nós. Se o orgulho falar mais alto, pensa que o irmão está estudando uma lição que já vencemos, mas que existem outros irmãos que venceram lições que ainda estamos tentando entender. Que do revés causado fique somente o aprendizado: mais lições vencidas.

Mas sinceramente, tudo isso só para dizer: “todos os humanos são manos”.

Abraços fraternos de luz do

Professor Pajé.

Anúncios